Consumo de carnes processadas e carnes vermelhas

 

 

Consumo de carnes processadas e carnes vermelhas - Relatório da Organização Mundial de Saúde (OMS) 

 

O que (nos) diz?

Alarmismo, dúvidas e até algumas distorções têm surgido relativamente a este relatório da OMS. Todos nós temos as nossas convicções e baseamos as nossas ideias nas nossas experiências pessoais e na nossa “forma de ver as coisas”. Por isso as reações ao documento são tão díspares. Vão desde o desacreditar e dizer que não lhe devemos ligar nenhuma até ao ser a prova de que devemos ser todos vegetarianos. Todas essas convicções obviamente são legítimas e respeitáveis. No entanto, penso que o que a grande maioria quer de facto saber é o que é o relatório e o que nos indica em termos de práticas alimentares.

Espero que de forma resumida e prática possamos ajudar.

 

O que diz o relatório?

Este relatório é o resultado da síntese de inúmeros e sólidos estudos (mais de 800) e essencialmente produz dois tipos de conclusões.

Em primeiro lugar fica comprovado que as carnes processadas* se consumidas com frequência aumentam significativamente o risco de cancro colo-rectal. Embora de forma não definitiva, também existem fortes indícios de que também podem aumentar a probabilidade de cancro do estômago.

Em segundo lugar, também o consumo de carnes vermelhas** tem uma relação significativa com certos tipos de cancro. No entanto neste caso, embora provável, ainda não é certo que essa relação seja direta (de causa-efeito).

 

Recomendações:

1- Devem-se evitar sempre que possível carnes processadas como: fiambre, presunto, salsichas, enchidos ou bacon.

2- Devemos considerar as carnes processadas não como proibidas mas como alimentos de conveniência ou para variar os menus usuais. Nunca as encarar como comidas “normais” que diariamente fazem parte da nossa alimentação.

3- Como precaução ou apenas baseado no que se sabe da sua constituição devemos igualmente evitar as comidas processadas em geral (cereais de pacote, bolachas, refrigerantes, etc).

4- Quanto às carnes vermelhas, devem continuar a ser consumidas pois possuem um conjunto de nutrientes relativamente difíceis de substituir através doutros alimentos como o ferro e a vitamina B12.

5- Apesar de não existir nenhuma conclusão a este respeito, a maioria dos especialistas apontam para se restringir o consumo de carnes vermelhas a 2 ou 3 porções por semana. Quem for vegetariano deverá procurar outras fontes de nutrientes de modo a minimizar as suas desvantagens e aproveitar os seus benefícios.

 

* Carne processada é carne que tenha sido transformada através de salga, secagem, fermentação, fumo ou outros processos para realçar o sabor ou melhorar a preservação.

** A carne vermelha refere-se a toda a carne de músculo de mamíferos como: carne de bovino, vitela, porco, cordeiro, carneiro, etc.

 

 

Por Prof. Nuno Machado

Licenciado em Ciências do Desporto, mestre em Psicologia do Desporto, pela FMH. É treinador de ténis de Nível 2 da FPT. Atual Presidente da ADDJ e responsável por vários projetos em escolas.

 

Comments are closed.