A História e o Museu do Surf em Portugal & Conceção e Fabrico de Pranchas de Surf

A História e o Museu do Surf em Portugal & Conceção e Fabrico de Pranchas de Surf

21 e 22 | Abril 2018

Curso Homologado pelo IPDJ | Atribuição de 2,5 UC 

 

Objetivos Gerais
Dotar os formandos de competências específicas do Surf, que lhes permitam o desenvolvimento de atividades práticas e da capacidade de resolução de problemas inerentes ao exercício da atividade de treinador de Surf.

 

Objetivos Específicos

  • Descrever a origem do surf e os seus aspetos influenciadores.
  • Identificar a influencia que os aspetos geográficos possuem para o desenvolvimento do surf.
  • Descrever a expansão do surf pelo mundo, identificando os seus principais
    responsáveis.
  • Descrever o processo de desenvolvimento da Associação da História e do Museu do Surf.
  • Identificar os diferentes tipos de pranchas e selecionar o melhor modelo em função das condições do mar e do nível técnico do praticante.
  • Distinguir os diferentes modelos de quilhas e as suas aplicações em função das
    condições de mar e dos praticantes.

 

Conteúdos Programáticos

A História e o Museu do Surf em Portugal
• O início - Como tudo começou: Surf antigo;
• A geografia e a sua influência no surf;
• Os primitivos veículos para surfar;
• O grande salto e os impulsionadores da modalidade: Duke Kahanamoku, Tom Blake e George Freeth;
• Califórnia... Santa Cruz e San Onofre;
• Evolução: George Greenough, Nat Young;
• Shapers célebres;
• Three fin Thruster - Simon Anderson - Bronzed Aussies;
• O Bodyboard;
• Anos oitenta até à atualidade - Renascimento do Longboard e modalidades ditas
pobres;
• O porquê dum Museu do Surf – Associação da História e do Museu do Surf.
Conceção e Fabrico de Pranchas de Surf
• Materiais necessários para fazer uma prancha;
• Tipologia de pranchas;
• Medidas (tamanho, tail, curvaturas/rocker, rails e concaves;
• Escolha do blank;
• Fabrico do blank;
• Criação do outline;
• Corte do blank (manual vs máquina);
• Shapear com plaina elétrica, elaboração dos rails, confirmação de medidas e
acabamento do shape;
• Laminação com fibra de vidro e resina;
• Colocação dos Plugs (caixas para as quilhas) e do copinho;
• Acabamento.

 

 

Metodologias de Formação
As metodologias de formação abrangem métodos e técnicas diversificadas, adequados às
características dos formandos e ao grau do curso, privilegiando-se os métodos ativos, no
sentido de facilitar a capacidade de autonomia, iniciativa, trabalho em equipa, análise
crítica, resolução de problemas e aprendizagem ao longo da vida, capacidades
indispensáveis à atividade de treinador de desporto, decorrentes da constante adaptação a
novas realidades no treino desportivo.

 

 

Avaliação
A avaliação tem por finalidade a verificação dos saberes, competências e capacidades
adquiridos pelos formandos ao longo do percurso formativo e compreende:
1. Uma avaliação formativa, delineada sobre o processo de formação, permitindo obter a informação detalhada sobre o desenvolvimento das aprendizagens, com vista à definição e ao ajustamento de processos e estratégias pedagógicas;
2. Uma avaliação sumativa final, que visa servir de base de decisão sobre a progressão e a certificação.

 

Escala de Avaliação

A escala de avaliação quantitativa utilizada é de 0 a 20 valores.

Formas e Instrumentos de avaliação:

  • Observação do desempenho dos formandos;
  • Formulação de perguntas orais e escritas (lista de perguntas, testes, questionários);
  • Realização de trabalhos práticos;
  • Apreciação da execução prática de tarefas, em ambiente simulado, ou em contexto real de trabalho.

 

 

Assiduidade

Para efeitos de conclusão da formação com aproveitamento e posterior certificação, a assiduidade não pode ser inferior a 90% da carga total horária da formação.
Sempre que um formando não cumpra os 90% da carga horária da formação, nos termos do que acima se refere, cabe à entidade formadora apreciar e decidir sobre as justificações apresentadas, bem como desenvolver os mecanismos necessários ao cumprimento dos objetivos inicialmente definidos.
A assiduidade do formando concorre para a avaliação formativa do seu percurso formativo.

 

 

Formador

Marco Estêvão Correia

  • Doutorado em Motricidade Humana pela FMH
  • Professor Assistente na FMH e no ISCE
  • Formador na Federação Portuguesa de Surf

 

 

Destinatários

Modalidade e respetivo(s) grau(s):
Bodyboard: II/III
Surf: II/III/IV
Surfing: I

A formação implica um número máximo de 10 participantes por edição.

 

Datas e Horários

 

Duração e Atribuição de UC

12,5h | 2,5 Unidades de Crédito

 

Local

CAPARICA SUN CENTRE
Rua Bernardo Santareno, nº3
S. João Caparica
2825 - 446 Costa Caparica | Almada, Portugal

 

O Caparica Sun Centre tem serviço de Alojamento +  Bar (com refeições).

Para mais informações sobre o Alojamento contate diretamente o nosso parceiro |  Contatos

 

 

Valores

A formação tem um custo de 85€, estando contemplada uma redução de 15% para colaboradores e parceiros da ADDJ, de 10% na inscrição numa 2ª formação e de 10% caso já tenha feito uma formação connosco nesta época.

Se efetuar a sua inscrição até dia 30 de Março o valor fica em 75€.

Este valor inclui todo o material pedagógico, nomeadamente documentação de apoio (digital), caderno e caneta.

O pagamento deverá ser feito na totalidade no momento da inscrição, para o IBAN PT50 0033 0000 4527 5805 4580 5. Solicitamos o envio do comprovativo para o e-mail geral@addj.pt

A ADDJ está isenta de IVA.

 

 

Informações e Inscrições

Para formalizar a sua inscrição envie, por favor, um e-mail para romeromiguelsantiago@gmail.com , com os seguintes dados:

Nome Completo

Morada

NIF

Nr Cédula de Treinador

Dados de Faturação

 

Para qualquer esclarecimento adicional pode contatar através do e-mail romeromiguelsantiago@gmail.com ou ligar para 962 946 741.

 

 

Entidades Parceiras